Portuguese English French Spanish
Voltar
Temas
Desafio

Por uma VELHA Santos NOVA - CoCriando a Cidade do Futuro

Um Centro VELHO, Um Centro NOVO, Um Centro VIVO é com essa visão de futuro, de ação imediata e a partir de estratégias abrangentes e multidisciplinares, conjugadas com fatores urbanísticos que delimitou-se a pensar um estudo técnico em torno de eixos de desenvolvimento:

 

(1) geração de renda por meio da economia criativa e do turismo

 

“A cidade que preserva sua história e valoriza sua identidade apresenta uma forma urbana sustentável e de futuro”

Construir uma cidade para o futuro é um grande desafio da gestão pública e requer, além do desejo de promover transformações no território, a capacidade de gerenciar os investimentos. Foi pensando em uma perspectiva territorial mais ampla da cidade de Santos, que Jaime Lerner Arquitetos e Associados idealizou as inúmeras áreas previstas para a revitalização e reinvenção da cidade. Cada projeto tem como objetivo ser capaz de solucionar as problemáticas do município, proporcionando melhorias na qualidade de vida da população santista, estimulando o uso da cidade como um direito humano.

A economia criativa, enquanto conjunto agregador dos setores de design, moda, cultura, tecnologia, artes, etc, é capaz de movimentar uma receita expressiva ao aproveitar o grande número de atrativos culturais espalhados pela cidade de Santos. 

Vilas Criativas

 

Transformar Santos é olhar para dentro do seu território, criando hábitos comportamentais sustentáveis, sendo capaz de agregar esforços no gerenciamento de seus ativos e recursos com maior eficiência, destinando seus investimentos de maneira a garantir o futuro das próximas gerações.

Para isso, o Plano Estratégico de Santos surge como uma iniciativa de Cidade para o Futuro, de caráter diferenciado, voltado para a construção de políticas de integração entre continente e território insular no desenvolvimento de uma Cidade para o Futuro. Uma iniciativa que explore as principais vocações da cidade e capture as ambições dos moradores e que atraia cada vez mais os olhos para uma Santos do futuro.

Um estudo técnico que reconheça o papel da “inovação” e da “criatividade” como um dos motores do planejamento urbano, promovendo o resgate social e econômico de sua população.

 

(2) revitalização de áreas estratégicas e promoção da inovação

Quando dizemos que a forma urbana é a “cara” que a cidade tem, é no intuito de repensar os usos da cidade e juntos co-criarmos uma nova Santos. Uma cidade que repense sua forma de expansão urbana, seus espaços públicos e promova cada vez mais a inovação por meio de tecnologias sociais capazes de transformar o espaço urbano do município.

Parque Tecnológico

 

A criação de um Parque Tecnológico em Santos, reunindo um conjunto de mais de 25 imóveis que se encontram na área insular, abrangendo cerca de 10 bairros com o maior adensamento populacional da cidade é uma dessas ações de revitalização das áreas estratégicas do município e promoção da inovação tecnológica.

A expectativa de criação do Parque Tecnológico é que englobe a Incubadora de Empresas, integrantes do Arranjo Produtivo Local de Tecnologia da Informação (APL), o Instituto de Tecnologia José Bonifácio (Tecjob), a Infovia, a Rede BS, além de universidades locais, empresas e demais entidades que tenham o interesse em se credenciar como parte deste grande empreendimento.

Atualmente, existem oito empresas que compõem a Incubadora do Parque Tecnológico de Santos, além do Laboratório de Logística, Mobilidade Urbana e Implicações Ambientais (Log Mob) e um setor de atividades para educação infantil sobre tecnologia e empreendedorismo.

Além disso, há a previsão de R$ 80 milhões de investimentos da Petrobrás para a construção do Centro de Tecnologia da Baixada Santista (CTBS) que ocupará uma área de 8,3 mil metros quadrados cedido pela Prefeitura Municipal e que será gerido por um consórcio entre USP UNESP e UNICAMP e terá como objetivo o desenvolvimento de pesquisa e tecnologia no setor de petróleo e gás. Será um grande pólo de desenvolvimento na área de exploração, logística, poços petrolíferos, operações submarinas, offshore e produção.

Para a Urban Systems, empresa de consultoria que realiza anualmente um ranking das melhores cidades brasileiras propícias para negócios, a cidade de Santos se destacou ao ocupar a 10ª posição. Essa posição de destaque levou em consideração o desenvolvimento econômico e social do município, bem como seu capital humano e os amplos investimentos em infraestrutura que a Prefeitura vem realizando.

 

(3) moradias populares e sustentabilidade

Um dos grandes desafios das cidades nos dias atuais está relacionado a questão de moradia. Com a expansão urbana das cidades cada vez mais elevadas, a necessidade de se pensar novas formas de promoção de políticas habitacionais é imprescindível. Santos é uma cidade com uma taxa de urbanização de 99,9% e uma proporção de indivíduos vulneráveis à pobreza de 8,1% em 2010. Com isso, Santos busca a ampliação de políticas habitacionais no município de maneira a promover melhorias na adequação das moradias populares dentro da cidade.

Foto: Alexsander Ferraz/AT

                                                         Foto: Alexsander Ferraz/AT

Pautada na Nova Agenda Urbana da ONU é que o Plano Estratégico de Santos, permeada pela visão de um futuro melhor e mais sustentável, busca promover uma política habitacional que garanta moradia digna para a população santista. Uma Política de Licenciamento Urbano e Desenvolvimento e de Zoneamento Ecológico e Econômico (ZEE) do município, que respeite o território e contribua para o seu ordenamento, de maneira a estabelecer medidas de expansão urbana capaz de atuar conjuntamente com a proteção ambiental da cidade.

Além disso, a vocação turística da cidade de Santos é uma das poucas possibilidades de uso direto em unidades de conservação de proteção integral, e também é encarada como uma das atividades que possibilita o contato direto e a vivência da população, cada vez mais urbanizada, com o ambiente natural. Assim, a promoção de uma política habitacional no município tem como responsabilidade pensar o futuro da cidade de maneira integrada na promoção do desenvolvimento sustentável.

Conteúdo presente na(s) trilha(s):
Voltar