Voltar
Desafio

Ferramentas | Priorização de um Projeto

Com as definições e esclarecidas as diferenças entre projeto e operação, é possível diferenciá-los dentro de todos os processos em execução no interior de uma prefeitura e o quanto eles são importantes ou necessários. Os projetos também precisam dialogar com o mapa estratégico do município. Nessa fase, chamada de priorização dos projetos, existem algumas premissas que podem ser seguidas para auxiliar na identificação (além das próprias características) que são:

Os projetos são criados para a resolução de um problema que necessita ser resolvido, ou seja, ele existe para atender uma demanda.

Além de atender a uma demanda, um projeto segue sempre estratégias previamente definidas, orientadas pela missão, objetivos e valores organizacionais. Já as operações seguem rotinas previamente determinadas.

Quando um projeto é identificado, formas de acompanhamento e indicadores devem ser criados para que possibilitem avaliações de resultados.

Os projetos que trazem maiores benefícios e impactam diretamente no futuro da organização são chamados de estratégicos. Os maiores esforços devem ser direcionados a esse tipo de projeto.

No setor público, especificamente, os projetos podem ser identificados por meio do PPA, da LOA, da LDO, do plano de governo e mesmo de objetivos firmados durante as eleições.

Os projetos não prioritários, que tratam de melhorias de processos internos ou que possuem impactos menores (podem ser chamados estruturantes e de apoio) devem ser acompanhados da mesma maneira que os projetos estratégicos.

 

Importância de se fazer um planejamento de projetos:

  • Pensar antes e preparar-se para o futuro;

  • Garantir que a direção esteja certa;

  • Identificar questões a serem atendidas;

  • Fazer melhor uso dos recursos;

  • Minimizar dificuldades na execução;

  • Escolher entre opções existentes;

  • Alcançar os melhores resultados.

 

O processo de priorização, comumente é composto por nove passos, sendo que os quatro primeiros suportam o desenvolvimento de estratégias, que é o quinto passo. Nos quatro primeiros a missão da organização direciona as análises (interna e externa) para que os objetivos dos projetos sejam definidos. Somente com as estratégias definidas e alinhadas os passos seguintes podem ser realizados.

No sexto passo os projetos são priorizados entre estratégicos e não-estratégicos (estruturantes e de apoio). Este passo é importante para que os recursos (financeiros, humanos e tempo) possam ser alocados nos projetos visando aos maiores impactos e benefícios. A partir do sétimo passo os projetos são executados efetivamente, quando são planejados, implementados e controlados. Os oitavo e nono passos ocorrem paralelamente, uma vez que o monitoramento e controle devem ocorrer sistematicamente durante a implementação dos projetos.

 

Em Pelotas, os projetos mais estratégicos e mais importantes são chamados de “marcas de governo”, pois constam no plano de governo municipal compunham as promessas de campanha do prefeito durante as eleições e estão mais alinhados ao mapa estratégico do município. Eles são priorizados, havendo um acompanhamento mais próximo do prefeito. A importância desses projetos fica clara até quando eles são impressos, já que são inseridos em pastas de cor laranja, para se diferenciar dos outros projetos em andamento na prefeitura.

 

processo estratégico de um projeto

Figura: Processo estratégico de um projeto.

Voltar