Voltar
Desafio

Modelo de governança para o Equilíbrio Fiscal

A Comunitas entende que, para o sucesso de qualquer intervenção que tenha como foco a mudança em uma gestão, a distribuição de responsabilidades e o acompanhamento sistemático entre os níveis de gestão da organização é um elemento importante para o sucesso e perenidade dos resultados alcançados.

 

Como vemos essa governança de pessoas?

O desempenho de uma organização é melhorado a partir do foco em seus principais desafios considerando três níveis de gestão: estratégico, tático e operacional.

A partir deles, são definidos o acompanhamento e a tomada de decisão. No patamar mais alto, o estratégico, é onde são definidos os principais objetivos e é realizado o planejamento. O nível intermediário é o tático, em que são definidas as diretrizes e é realizado o gerenciamento das ações. O último nível é o operacional, no qual é acompanhada a rotina. Essa estrutura é uma forma de visualizar a organização sob a ótica das práticas gerenciais, que se complementam e auxiliam no alcance de resultados de curto, médio e longo prazo.

1

 

O fluxo de informações é realizado duplamente: uma de cima para baixo (top-down) e outra de baixo para cima (bottom-up). Por exemplo, as diretrizes e as validações são definidas pelo nível estratégico e desdobradas nos seguintes; enquanto as análises e ações são executadas pelo operacional e sobem para outros níveis.

Para o bom andamento da frente de Equilíbrio Fiscal, o relacionamento e o engajamento das pessoas envolvidas são fundamentais. É necessário que os participantes conheçam e se localizem dentro da governança. Comunicação transparente, treinamentos bem desenvolvidos, papéis e responsabilidades bem definidas: essa é a forma para atingirmos os melhores resultados.

Em Juiz de Fora, em 2015, a então secretária de Planejamento e Gestão Elizabeth Jucá, esclareceu que a recepção e o engajamento dos servidores foi realizada pela comunicação constante dos resultados das frentes. Quinzenalmente, durante o projeto, foi publicado o jornal Gestão Inteligente, que era divulgado por e-mail aos servidores e também por impressos afixados nas secretarias e nos elevadores da prefeitura. 

 

Voltar