Voltar
Desafio

Boas Práticas | Metas em Saúde - Campinas

 

Campinas, assim como a maior parte das cidades brasileiras, enfrenta o desafio de manter a qualidade dos serviços de saúde e fazer frente à crescente demanda dos cidadãos que dependem do Sistema Único de Saúde. Segundo dados do DataSUS, o município gastava em 2012 o terceiro maior volume de recursos per capita em saúde, na comparação com cidades de perfis semelhantes.

gastos sus hab

Fonte: DataSUS

 

Campinas assumia a segunda posição entre os municípios de referência quando se calculava o recurso gasto em função apenas da população SUS-dependente.

gastos sus habdep

Fonte: DataSUS

 

Em 2012 a cidade despendia mais de R$ 850 milhões com saúde, representando 26% do orçamento, superando as vinculações mínimas exigidas pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que determina que 15% do orçamento municipal sejam direcionados para a saúde.

A Frente de Saúde teve início em dezembro de 2013, com a definição, pela equipe da Falconi e pelos coordenadores distritais da Secretaria de Saúde de Campinas, dos dez centros de saúde em que se daria a atuação, dois em cada distrito, de forma a pulverizar e garantir a heterogeneidade dos resultados.

Descrição

A frente de Desdobramento de Metas em Saúde buscou atuar no aperfeiçoamento do gerenciamento das rotinas dos centros de saúde, com ênfase na revisão dos padrões de atendimento, treinamento dos funcionários que lidam diretamente com o cidadão e capacitação dos supervisores dos distritos de saúde.

Objetivos

A frente tem como objetivo auxiliar na melhoria do atendimento em atenção básica e aperfeiçoar o seu gerenciamento em dez centros de saúde de Campinas, buscando, assim, conferir maior eficiência aos gastos com saúde no município.

centros saude cps
 

Desenvolvimento

Para concepção da frente foram desenvolvidas as seguintes etapas:

  • Construção das árvores de indicadores de atendimento dos centros de saúde
  • Definição das metas de melhoria por centro de saúde
  • Definição e estruturação dos indicadores de satisfação dos usuários e suas metas
  • Análise do processo e elaboração do plano de ação
  • Revisão dos padrões de atendimento
  • Definição da sistemática de acompanhamento e controle

Em conjunto com a equipe de acompanhamento, o parceiro técnico desenvolveu uma árvore com os principais indicadores da atenção básica, sendo esta dividida em dois ramos: acesso e qualidade na prestação do serviço, além do painel de indicadores.

Para construção da árvore de indicadores e o estabelecimento de metas foram realizadas as seguintes atividades:

  • Visita aos centros de saúde
  • Levantamento de boas práticas
  • Acompanhamento dos agentes de saúde
  • Validação das metas pelo secretário de Saúde, representantes distritais e coordenadores dos CS
  • Definição e estruturação dos indicadores de satisfação dos usuários
  • Levantamento e priorização das causas
  • Validação dos planos de ação e indicadores com o secretário de Saúde e a equipe gestora
  • Definição da rotina de acompanhamento dos resultados e da execução dos planos de ação pelos gestores da saúde e pelo Núcleo de Sustentabilidade

 

Interlocutores

  • Comunitas
  • Secretaria de Saúde
  • Secretaria de Administração
  • Secretaria de Chefia de Gabinete
  • Secretaria de Gestão e Controle
  • Falconi Consultores de Resultados

 

Foram entregues dez árvores de indicadores e metas, uma para cada unidade envolvida, sendo duas em cada distrito, de forma a pulverizar e garantir a heterogeneidade dos resultados e, ainda, facilitar a posterior replicabilidade das experiências. A implementação e a execução, bem como a continuidade e o acompanhamento dos planos de ação, ficaram sob responsabilidade dos gestores da saúde e do Núcleo de Sustentabilidade da prefeitura.

Voltar