Voltar
Desafio

Entendendo logística reversa e ciclo de vida dos produtos

Dentre as diversas diretrizes visadas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos, a PNRS, os conceitos de logística reversa e ciclo de vida dos produtos foram aludidos vigorosamente durante o processo.

Estes dois aspectos são englobados pelo conceito de responsabilidade compartilhada, qual visa promover o descarte correto do lixo nos mais diversos setores (sendo consumidores, titulares, importadores, distribuidores ou comerciantes).

Neste tópico, falaremos a respeito do significado destes conceitos e como é previsto o uso deles em diversos segmentos da sociedade.

Ciclo de vida do produto

O ciclo de vida do produto é definido pela PNRS como uma série de etapas que envolvem o desenvolvimento do produto, desde a obtenção de matérias-primas e insumos para a fabricação, o processo produção, o consumo e até mesmo o descarte. Para o ciclo de vida do produto ser apropriado conforme estas observações, o produto deve ter uma disposição final ambientalmente adequada.

Conscientizar a população sobre o ciclo de vida do produto é imprescindível, uma vez que o mesmo pode evitar dependência da saúde pública por conta do descarte incorreto de lixo e também minimizar os impactos ambientais desvantajosos trazidos por este.

Como podemos ver a seguir, o ciclo de vida do produto está diretamente ligado à logística reversa.
 

Logística Reversa

Segundo o Ministério do Meio Ambiente a logística reversa trata-se de um instrumento de desenvolvimento econômico e social. O procedimento é caracterizado por se tratar de um conjunto de ações, procedimentos e meios que viabilizam a coleta consciente e restituem os resíduos sólidos ao setor empresarial para o reaproveitamento.

O processo sucede conforme o esquema abaixo:

1

Como é possível observar pelo esquema, a lógica da logística reversa é, através do reaproveitamento, beneficiar o material retido na coleta para o mesmo entrar em outros ciclos produtivos ou ter uma destinação final ecologicamente apropriada. Ao retornar o produto para os fornecedores, o processo faz o inverso da logística tradicional. A logística reversa é uma obrigação a todos os envolvidos (importadores, produtores e distribuidores) que atuam no mercado dos seguintes setores:

  • Agrotóxicos;
  • Pilhas e baterias;
  • Pneus;
  • Óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens;
  • Lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista;
  • Produtos eletroeletrônicos e seus componentes. (Via Conta Azul)

A logística reversa e a conscientização sobre o ciclo de vida do produto afetam positivamente todos os segmentos envolvidos. No âmbito municipal, a aplicação de ambos os conceitos reduz o descarte incorreto do lixo e fomentam a execução da PNRS. No âmbito empresarial, ambos estabelecem novas oportunidades de negócio, melhoram a imagem da empresa perante a sociedade e geram mais postos de trabalhos e negócios para a organização.

Além disso, é possível dizer que as empresas que aderem estes métodos sobressaem com grande vantagem competitiva sob as demais, uma vez que diminuem os custos de produção e prosperam o serviço ao consumidor ao observar os impactos ambientais causados pela prática.

 

Voltar