Voltar
Temas
Desafio

Diagnosticando a rede

Manutenção das escolas, gerenciamento da demanda e oferta de matrículas, cumprimento de leis como a referente ao piso salarial nacional dos professores (Lei n° 11.738), são aspectos que gestores municipais e estaduais de educação devem estar simultaneamente atentos.

A gestão deve sempre avaliar e monitorar sua rede tendo sempre um diagnóstico como uma ferramenta essencial para melhorar a gestão e, consequentemente, alavancar resultados de aprendizagem e fluxo. Embora já existam muitas ferramentas de coleta de dados para o monitoramento de redes, como o próprio Plano de Ações Articuladas - PAR e o Censo Escolar, é importante que você elabore também diagnósticos com base no Ideb, já que este é um dos principais indicadores da qualidade da educação brasileira.

Isso também envolve o uso de ferramentas de gestão próprias, que te ajudarão no levantamento de hipóteses robustas sobre as origens das lacunas e gargalos existentes na rede e na utilização de estratégias focadas para solucionar estes desafios. 

 

Passo a passo

Primeiramente vamos abordar como você poderá criar um plano para engajar os atores que participam do processo educacional da sua rede na criação de um diagnóstico e, em seguida, de um plano de ação. Para que uma agenda transformadora para a educação tenha sucesso e continuidade, é necessário haver um mapeamento dos grupos de interesse e acesso a ferramentas para uma gestão democrática.

Ao longo desta trilha vamos abordar aspectos técnicos para a construção de diagnósticos como, por exemplo, o mapeamento do ambiente socioeconômico no qual as escolas e seus alunos estão inseridos, a demanda e oferta de matrículas, o mapeamento das metas para o município ou estado com relação ao Ideb e uma esquematização dos próprios indicadores de aprendizagem e fluxo.

Com essas informações em mãos, você poderá não somente criar um plano de ação com sua equipe, mas também desenvolver um senso de urgência e mobilizar os grupos de interesse para tomarem decisões em prol de uma agenda que esteja focada na aprendizagem dos alunos e na alocação de recursos para a educação.

1

Diagnóstico adaptado de Kusek et al (2004) e Hua (2017).

 

A próxima sequência dessa trilha irá apresentar em detalhes vários fatores específicos a serem diagnosticados. Venha conosco e acompanhe o caminho!

Conteúdo presente na(s) trilha(s):
Voltar