Voltar
Desafio

Construindo Cidades para o Futuro | Curitiba 2035

Foi pensando em como construir uma cidade inteligente que melhorasse a vida da população e ao mesmo tempo garantisse o futuro das próximas gerações, surgiu o Programa Curitiba 2035.

O Programa foi desenvolvido inspirado no Programa Curitiba 2030 idealizado em 2010 e que marcou significativamente um pensamento coletivo de cidade sustentável.

Assim como o Curitiba 2030, o surgimento do Curitiba 2035 foi configurado a partir do pensamento coletivo sob as melhores práticas de desenvolvimento da cidade a longo prazo.

Iniciado em maio de 2016 e projetado sob a ótica de desenvolvimento bianual, o primeiro ano foi destinado para a construção criativa do pensamento em soluções e o segundo para a consolidação de um modelo de governança que garantisse a eficácia do programa.

Curitiba 2035 foi uma iniciativa da Comunitas, da Prefeitura Municipal de Curitiba e do Sistema Fiep (FIEP, SESI, SENAI e IEL), contando também com o apoio do Instituto Arapyaú

 

Como Curitiba idealizou sua Cidade para o Futuro? 

Para que Curitiba 2035 saísse apenas do caráter conceitual e tomasse forma, foram escolhidas duas metodologias iniciais: a Prospectiva Estratégica e o Roadmapping

A Prospectiva Estratégica buscava a reflexão e a criação coletiva para encontrar meios de ação. Já o método Roadmapping, buscava trazer grupos de especialistas que induziam, de forma compartilhada com outros participantes envolvidos, a criação de perspectivas em curto, médio e longo prazo para determinada situação. 

A partir destas duas metodologias, foram estimuladas a criação de estruturas voltadas para as seguintes etapas de realização:

  • Articulação de parcerias estratégicas;
  • Realização de estudos preparatórios;
  • Engajamento dos atores-chave em encontros reflexivos;
  • Produção de inteligência coletiva;
  • Sistema e validação das construções coletivas.

 

Passo a Passo para uma Curitiba 2035  

Pautada na articulação de parcerias estratégicas, a construção do Programa Curitiba 2035 contou com a presença de importantes instituições e stakeholders da cidade. Esta etapa tornou possível a criação de um Comitê Executivo e um Comitê Gestor, importantes pontos focais para o andamento do projeto. 

O Comitê Executivo foi composto, primariamente, por um grupo fixo de representantes das instituições envolvidas no projeto (Comunitas, Sistema Fiep, Prefeitura Municipal de Curitiba e Instituto Arapyaú). Para este, foram convidados também o Instituto Atuação e o Instituto Votorantim, cujo convite foi feito a fim de se ter um olhar neutro sob a perspectiva do processo como um todo. 

Já o Comitê Gestor foi formulado com diversos atores estratégicos da sociedade civil local, como acadêmicos, empresários, membros do terceiro setor e do governo. Estas vinte entidades foram inseridas para contribuir com a garantia da qualidade técnica do processo, sensibilizando instituições e stakeholders e disseminando as etapas e resultados parciais. 

Pode-se dizer que Curitiba 2035 foi criado a partir de dinâmicas de inteligência coletiva, tendo 16 encontros com 457 participações em seu planejamento. 

A iniciativa foi fundamentada na discussão de Painéis Temáticos, que eram encontros feitos para cada um dos eixos selecionados como estratégicos para o futuro das cidades. Todos os painéis foram viabilizados com o apoio de parceiros como o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná (Sebrae-PR), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio-PR), Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Rede Paranaense de Metrologia e Ensaios (Paraná Metrologia) e Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Paraná (Sinduscon-PR). Foi também alicerçada com a participação de especialistas de relevância social, técnica e científica. 

Para tornar o desenho do futuro desejado mais eficaz, uma plataforma web foi criada a fim repor as ações. O aplicativo Colab, que atua promovendo uma sinergia entre cidadãos e suas prefeituras, também foi utilizado para comunicar grandes tendências que impactam as cidades.  

Respeitando as tendências gerais para o futuro das cidades, o Programa Curitiba 2035 repensou a forma como a cidade deve se projetar no futuro. Sua idealização pode ser replicada em outras cidades que têm em vista um objetivo parecido: de impulsionar seu crescimento em um longo prazo. 

Voltar