Voltar
Desafio

Análises e Oportunidades na Gestão dos Recursos Públicos

Para alcançar a gestão eficiente é importante manter o foco em aspectos operacionais, principalmente do uso dos materiais e serviços. É preciso gerar capacidade de pagamento e de investimento para a Prefeitura a partir da otimização de seus processos de compras, contratação e utilização dos recursos no dia a dia.

Partindo desse princípio, é preciso trabalhar com as contas públicas relacionadas à Folha de Pagamento de Pessoal e também as que são consideradas como Despesas Correntes como a compra de medicamentos, merenda escolar, limpeza, vigilância, entre outras. Além disso, os valores que nos permitem avaliar se houve comprometimento dos gastos são aqueles considerados como os de liquidação, ou seja, aqueles que a gestão assumiu a responsabilidade pagar.

É preciso ter bastante atenção para os gastos com liquidações mensais, pois são eles que muita das vezes, oneram a gestão. Na Frente de Equilíbrio no Estado do Pará, utilizou-se os valores liquidados mensais de 2015 a 2017, separados por órgão/secretaria, tendo alcançado um resultado mega positivo.

Há diversas formas de reduzir os gastos públicos, uma delas é repensar os gastos com liquidações mensais como:

n

Além disso, é preciso adotar estratégias de ganho público, colocando em equilíbrio aquilo que se arrecada e aquilo que se tem de gastos na gestão. Os gastos são gerados pela utilização de um recurso (consumo) a um certo preço, que existe para atender uma determinada demanda. Dessa forma, existem três tipos de ganhos de eficiência:

Estratégias de Ganho

É importante manter sempre em mente ao longo desse processo é que, independente de qual conta ou análise específica estiver realizando, o foco é otimizar continuamente a relação objeto – consumo – preço.

Por exemplo, os objetos contratados (serviços, materiais, pessoas) estão bem construídos (especificados, parametrizados) e de acordo com a real demanda que a prefeitura tem, sem gerar desperdícios?

Agora pense em um caso hipotético em que o serviço de limpeza vem sendo contratado por número de postos, ou seja, quantidade de pessoas. Caso ele seja contratado por metro quadrado, pensando na área como parâmetro, seriam necessárias 2 pessoas para um espaço de 100 m² e 3 pessoas para um espaço de 200 m². 

Nesse caso, como existe um ganho de escala poderia ser mais interessante fazer a contratação por m² a ser limpo e não por postos fixos, e trabalhar com uma equipe itinerante.

Voltar